domingo, 8 de março de 2015

Mesadas de até R$ 500 mil eram pagas em dinheiro aos parlamentares

DELAÇÃO PREMIADA

17h49 | 08.03.2015

Para montantes maiores, o dinheiro era levado em aeronaves fretadas

Alberto Youssef
O próprio doleiro pegava o dinheiro em espécie
DIVULGAÇÃO
Aberto na noite da última sexta-feira, 6, junto a outros 17, o inquérito que narra a disputa por propinas dentro do PP é o maior dos anunciados pelo ministro Teori Zavascki, relator dos autos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). 
No total, são 39 investigados, dos quais 32 são parlamentares e ex-parlamentares do PP.
De acordo com informações divulgadas pelo jornal O Globo, os trechos das delações premiadas usados para embasar o pedido de abertura do inquérito revelam como funcionava o suposto pagamento de propina aos políticos. 
Segundo o doleiro Alberto Youssef, o dinheiro desviado de contratos da Petrobras para o pagamento de mesada a parlamentares era transportado em espécie e colado ao próprio corpo de operadores quando o valor não ultrapassava R$ 500 mil. Para montantes maiores, o dinheiro era levado em aeronaves fretadas.
Os integrantes da cúpula do partido recebiam entre R$ 250 mil e R$ 300 mil por mês. Os outros parlamentares, entre R$ 30 mil R$ 150 mil. Havia casos de pagamentos quinzenais e até semanais.
Repasses extras ocorriam na escolha do líder da legenda, todos os anos, para que o grupo interno que operava o esquema fosse escolhido para comandar a sigla. Outro relato dos delatores aponta que a defesa jurídica de parlamentares pepistas foi paga com dinheiro desviado da Petrobras.

FONTE:

http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/nacional/online/mesadas-de-ate-r-500-mil-eram-pagas-em-dinheiro-aos-parlamentares-1.1239082


Um comentário:

Ana Cristina Manhaes disse...

Olá!! Vim conhecer seu blog através do agenda dos blogs e gostei muito. Quando puder venha conhecer os meus também.

Cris
MEUS BLOGS: Blog ARTE EXCELENCE Crescimento Cristão -
Maturidade
, & Blog Crescimento Cristão